Tiago Brandão Rodrigues e Nuno Crato parecem ser um casal que terminou a relação e quer que a culpa seja do outro. “Ah não, o estado lastimável da educação em Portugal é culpa tua!” “Não, não. O estado lastimável da educação é culpa tua!” Até um amigo trazem para a discussão. “O Marçal Grilo é começou isto tudo”.

Mas, afinal, o estado da educação está assim tão lastimável? Os resultados do PISA
levam a crer que nem por isso.

A média nacional nestes testes ficou à frente da média da OCDE, com uma descida “significativa” na área das ciências. Ainda assim, continuamos acima da média. Portanto, qual é a razão de todos os títulos alarmistas nos jornais na última semana?

“Cerca de 20% dos alunos com 15 anos não adquirem competências mínimas”, diz o
Público enquanto o Observador aproveitou para colocar Tiago Dores, José Manuel Fernandes e Ana Rita Bessa numa nova versão de Sabe Mais do que um Miúdo de 10
Anos?

Criançada deste país, vamos ser honestos com os adultos? Vamos.

Também eu tive de participar na avaliação do PISA. E… Como é que vou dizer isto sem passar a ideia de que os adolescentes de 15 anos têm mais com que se preocupar do que com uma avaliação externa, sem peso nenhum na sua nota, que consiste em escolhas múltiplas? Os adolescentes não querem saber de um teste sem impacto na sua nota e que consiste em escolhas múltiplas.

Agradecia até, se é para continuar a implementar o PISA nas escolas, que no final do
exame venha o número de apoio ao Jogo Responsável, porque a maioria dos alunos
preenche o PISA como se fosse um Placard de hóquei no gelo. Não percebem nada
daquilo, mas vão na esperança de que alguns deles estejam certos.

A culpa da diminuição das notas nos PISA não é única ou exclusivamente culpa de os
alunos estarem mais “burros”. É um sintoma de um sistema de ensino que já mal
consegue arranjar no seu ano lectivo tempo suficiente para leccionar o programa inteiro, ainda perde tempo a aplicar uma avaliação sem qualquer valor efectivo a uma camada que se está pouco marimbando para a ideia de que essa avaliação quer perceber o estado do sistema educacional a nível da OCDE.